Quer aprender a fazer leites vegetais? E ainda aproveitar os resíduos que ficam no coador com receitas deliciosas e nutritivas?

Este e-book foi preparado com muito amor para que você aprenda a fazer leites vegetais e ainda aproveite os resíduos com receitas práticas, deliciosas e nutritivas!

Os leites vegetais são ideais para quem tem intolerância à lactose, alergia ao leite de vaca, para quem está em transição para o veganismo ou já é vegano ou simplesmente para quem busca opções mais saudáveis e conscientes para sua alimentação e sua vida!

Bom proveito!!

Mais informações no link abaixo:

https://pages.hotmart.com/t8226101d/leites-vegetais-como-fazer-dez-opcoes-e-aproveitar-os-residuos-com-deliciosas-receitas-/?_ga=2.223851421.723642046.1530838232-809771695.1530838232

Será que alimentos diet / light são boas opções pra você?

Quem quer ou precisa emagrecer está sempre atento ao consumo de alimentos diet ou light. Nas prateleiras dos supermercados é cada vez mais comum encontrarmos estas versões para quase todo tipo de produto. Mas será que eles realmente ajudam no emagrecimento ou fazem bem para a saúde?

Primeiramente, é importante saber a diferença entre os dois:

Diet é aquele produto isento de algum componente, que pode ser açúcar, sódio, gordura etc. Normalmente ele é indicado para quem tem alguma patologia, como por exemplo, diabetes. Um alimento diet normalmente não contém açúcar, se for este o macronutriente excluído. Entretanto, retirando-se um componente, geralmente acrescenta-se outro para manter as características do produto original. É por isso que os chocolates diet, por exemplo, não contêm açúcar, mas são mais ricos em gordura do que a versão comum. Portanto, deve ser consumido com moderação por quem precisa evitar o açúcar e não necessariamente deve ser a escolha daquelas pessoas que não têm problemas de saúde que impeçam ingestão de açúcar.

Light é aquele produto que contém 25% a menos de algum componente em relação à versão tradicional, sendo geralmente gordura, açúcar, sódio. Isso não quer dizer que podem ser consumidos à vontade: primeiro porque a versão original pode ser rica em calorias, sendo a redução de 25% não tão vantajosa. Segundo porque, muitas vezes, reduz-se um componente, por exemplo, o açúcar, mas adiciona-se mais gordura, o que torna o alimento ainda mais calórico do que a versão normal. É o caso de alguns biscoitos, por exemplo. Leia os rótulos e compare as tabelas de composição nutricional dos produtos!

E atenção! Para quem precisa reduzir a ingestão de calorias, não vale consumir um alimento em maior quantidade só porque ele é light. Neste caso, ingere-se um valor calórico igual a um produto normal, perdendo-se a vantagem de ser light.

Outro ponto importante a ser observado no consumo destes produtos, é que eles levam em sua composição adoçantes e, muitas vezes, sódio em excesso. O excesso de consumo de adoçantes pode “disparar” o apetite para o sabor doce e o excesso de sódio é prejudicial para hipertensos, por exemplo.

O sabor de alguns alimentos diet/light não é agradável, de forma que, ao tentar restringir a ingestão de calorias, optamos por eles, mas, não sendo tão gostosos como o original, comemos e não ficamos satisfeitos. Daí fica aquela vontadezinha e vamos procurar comer algo mais para saciá-la. Resultado: comemos mais do que pretendíamos. Neste caso, seria preferível comer sem culpa o que tinha vontade, com moderação e não tentar enganar a vontade com um alimento light.

Vale lembrar que alimentos diet/light são industrializados e/ou ultraprocessados. Isso significa que já não contêm quase nutrientes e fibras. Então, se não for possível viver sem eles, consuma-os o mínimo possível, priorizando sempre a ingestão de alimentos naturais.

Os alimentos diet e light têm sua utilidade dentro das mais diversas situações em que se necessita de ingestão controlada de nutrientes e calorias, mas nem sempre seu uso é uma boa saída para quem quer emagrecer e nem é indicado para qualquer pessoa. Fique atento! E consulte sempre um nutricionista para indicar o que é melhor para o seu caso.

Fique atento! E consulte sempre um nutricionista para indicar o que é melhor para o seu caso.

Fruta engorda? Frutose faz mal?

É muito comum hoje em dia ouvir essas perguntas dos clientes. Muita gente com medo de comer frutas! Chega de alimento proibido, pessoal.

As frutas contêm seu açúcar natural que é a frutose, mas o conteúdo deste nas frutas é menor do que nos alimentos industrializados e, principalmente nas bebidas açucaradas como sucos de caixinha e refrigerantes!

Se tivermos que retirar algo da alimentação, não são então as frutas: que contêm fibras, que retardam a absorção de glicose, contêm vitaminas, minerais e compostos bioativos que protegem nossa saúde. Além das fibras também auxiliarem na saciedade e na saúde intestinal.🍇🍏

Então posso comer quanto eu quiser de fruta?🤷🏼‍♀️ Dependendo de todo o conjunto de alimentos que você ingere no dia, dos seus objetivos e necessidades, as frutas entrarão em determinado número de porções, mas saiba que o que engorda é tudo (carboidratos, proteínas e gorduras) o que comemos em excesso, nenhum alimento isoladamente “engorda” ou “emagrece”. 😉

Coma mais alimentos naturais e evite industrializados com adição de frutose e xarope de milho!

Panqueca proteica de banana sem glúten

Esta receita é um sucesso: muito gostosa, fácil de fazer, nutritiva, com bom teor de proteína – substitui pães com muita qualidade e sabor – e ainda é sem glúten.

Quem me ensinou foi a amiga e ecochef Marlene Oliveira.

Você vai precisar de:

  • ½ xícara de quinua em flocos
  • ½ xícara de amaranto em flocos
  • ½ xícara de farelo de aveia ou aveia em flocos finos
  • ½ xícara de farinha s/ glúten (de arroz, polvilho doce, farinha de grão de bico)
  • 2 bananas amassadas
  • 1 c sopa de óleo de coco
  • 1 c sopa rasa de fermento em pó
  • 1 c chá de vinagre de maçã (ajuda no crescimento e deixa aerado)
  • Canela em pó a gosto

É só misturar tudo e deixar de molho em 1 xícara de água – ou um pouquinho mais se precisar – para hidratar.

Colocar às colheradas a massa numa frigideira antiaderente e deixar dourar dos dois lados. Está pronta!

Você pode colocar um pouco de melado de cana por cima, pasta de amendoim, manteigas de castanhas, geleia de fruta sem açúcar, frutas in natura etc. As indicações de consumo dependem da sua necessidade energética e nutricional e objetivos.

Procure sempre um profissional especializado para lhe ajudar a compor uma alimentação balanceada.

 

 

 

Por que não emagreço?

Não me canso de me deparar com a seguinte situação no consultório: a pessoa come bem – em qualidade e quantidade -, muitas vezes até está comendo bem pouco ou menos do que deveria, não come “besteiras”, “faz tudo direitinho” e não emagrece!

O que acontece? 🤔🙄

Se colocarmos muita pressão em qualquer coisa que fazemos, aquilo não dá certo! Não vai. Simples assim. Quer arrumar um emprego e coloca muita ansiedade nisso? Não dá certo, empaca. A mesma coisa acontece com o emagrecimento: faça a sua parte, sem perfeccionismo e relaxe, desapegue do resultado 🤗, pare de se pesar, pare de falar no assunto, de esperar pelos resultados! Desfrute do processo, afinal, a felicidade está no Agora, o resultado está no futuro, esqueça dele e, quando ele chegar, será o seu Agora, o momento que você tem que aproveitar. 🙏🏼✨🍃

Já reparou que as pessoas magras comem “despreocupadamente”, sem neuras? É a maneira COMO comemos que faz a diferença, mais do que O QUE comemos. 🙄🙄 Sim!

Quanto mais ansiedade colocamos, mais impedimos que as coisas que queremos cheguem em nossa vida. 😱 A sua felicidade não está no corpo mais magro ou com X quilos a menos. Está em ser você mesma, plena, autêntica. Você fica desejando as consequências de estar mais magra: poder usar a roupa que quer, ir à praia etc. Mas você já é livre para fazer isso agora, curar agora, porque é um processo interno, uma 🔑 interna que você tem que girar lá dentro de você. Entende? Então, a alimentação só vai te ajudar se realmente internamente você SE PERMITIR emagrecer, se você acreditar que é possível e assim, desapegar do resultado. Sem ansiedade. E com amor por você mesma.🍃☺❤

Procure um profissional habilitado para lhe ajudar neste processo.

Leite de inhame

O leite de inhame é um dos mais baratos e versáteis. Fácil de fazer, todos são. O de inhame tem algumas vantagens: fica bem cremoso e tem sabor neutro, então vai muito bem em receitas.

O inhame é um tubérculo muito nutritivo, contém vitaminas e minerais e ainda ajuda a fortalecer o sistema imunológico e tem propriedades antioxidantes, contribuindo para a prevenção de câncer.

Como fazer o leite:

  • Descascar e picar cerca de 600g de inhame
  • Deixar de molho por cerca de 6 horas
  • Descartar a água e bater no liquidificador com a quantidade que cubra os pedaços de inhame e mais 2 dedos de água filtrada (ou teste a cremosidade de sua preferência, colocando mais ou menos água)
  • Coar em um coador fino, de voal e está pronto.

Você pode batê-lo com frutas, cacau em pó, tomar com café, adoçar com um pouco de açúcar mascavo ou melado de cana, saborizar com canela e outras especiarias. Experimente!

Coador de voal

Pasta de tofu

É possível fazer seu próprio “requeijão” ou pastinha para rechear pães sem nada de origem animal: é melhor para a saúde, não machuca nenhum animal e ajuda o planeta 🌍💚.

Usando tofu você pode brincar com os temperos e fazer patês de diversos sabores: bata no processador ou liquidificador:

400g de tofu / Azeite de oliva / Sal marinho a gosto / 1 dente de alho / Limão – opcional

Depois acrescente seus temperos prediletos: no da foto coloquei cebolinha verde. 🌱😋 Pode ser cúrcuma, páprica, azeitonas, alho poró, orégano, manjericão, manjerona…🌿

Fica uma delícia, com uma consistência incrível, é fonte de proteínas, cálcio, magnésio etc. sem alergênicos e inflamatórios do leite de vaca. ❌🐮

E você não fica mais refém da mesmice dos produtos de supermercado, só com opção de laticínios para seu café da manhã ou lanches por exemplo. 😉💪🏾

Por que parar de comer carne pode parecer difícil? Como driblar o auto-engano e conseguir fazer a transição para o veganismo

Sempre que tentamos fazer uma mudança em nossa vida nos deparamos com a resistência do ego: aquela parte nossa reativa, que faz tudo para nos manter na zona de conforto.

Mudar um hábito alimentar pode não ser uma tarefa fácil justamente porque temos que abrir mão daquilo que está ‘automatizado’ e acomodado na nossa rotina e porque temos que desapegar dos condicionamentos, arraigados desde cedo, mas que nos impedem de evoluir.

Ao tentar tomar a decisão de parar de comer animais, por exemplo, vamos nos deparar com todas as desculpas possíveis e imagináveis do ego para não fazermos essa mudança: “sempre foi assim”, “minha avó comeu carne até os 90 anos e viveu bem”, “ser vegano é caro”, “vou ficar fraco, anêmico”, “vai faltar B12”, “é cultural comer carne”, “não terei proteína suficiente”, “é a cadeia alimentar, os animais matam para sobreviver”, “vai sobrar animal no mundo se pararmos de comê-los”, “somos carnívoros”… e por aí vai; inúmeras justificativas que o ego encontra para combater qualquer tentativa de transformação porque vai “dar trabalho” e porque há uma ameaça de desconstrução de tudo o que aprendemos como certo até o momento. Mas é somente a partir desse processo que evoluímos.

Cada uma dessas desculpas pode ser desbancada e vamos falar sobre todas elas em outros posts.

O que é necessário por hora é enxergar de forma mais ampla, pensar um pouco no sentido e na essência de tudo… Os animais são seres sencientes,como nós: sentem medo, dor, frio, fome, saudade, contentamento, são inteligentes e amorosos. São nossos companheiros de caminhada aqui na Terra. Não são comida ou “coisas”para nos servir, por mais que isso é o que tenha sido ensinado até o momento. Estão aqui para o mesmo propósito que os humanos. É hora de acordar e sair da anestesia coletiva e transcender condicionamentos e informações obsoletas para que possamos dar um salto em nossa evolução como seres espirituais que somos e parar de gerar débitos com o Universo.

Tudo o que existe é energia, se manifestando em diferentes formas de consciência: um objeto, um mineral, um pensamento, uma planta, um animal, um ser humano. E tudo retorna à sua vibração correspondente; então a lei do retorno ou de ação e reação está agindo a todo o momento, gostando nós ou não, acreditando nisso ou não, o que significa que tudo o que fazemos tem consequências para nós e para o Todo. Não podemos interferir na vida e na evolução de outro ser, qualquer que seja ele.

Portanto, se a Consciência estiver em primeiro lugar guiando nossa vida, é possível mudar um hábito de forma fácil e muitas vezes instantânea porque se percebe que não há sentido algum em compactuar com o sofrimento imposto aos animais para servir ao ego de forma totalmente desnecessária e violando todas as leis, não só as leis daqui, criadas pelo homem, mas a violação das leis universais, entre elas a mais importante, que é o amor incondicional, que deveria ser estendido a tudo e todos, independentemente da forma, ou seja, todas as vidas são valiosas.

Após esse despertar, os ajustes na alimentação ficam mais fáceis e tudo é uma questão de adaptação, de novas experiências gastronômicas, descoberta de sabores e receitas, muita diversidade alimentar, melhoras incríveis na saúde entre outros benefícios. Daí outros hábitos são incorporados com mais naturalidade porque não existe mais a resistência das desculpas. Experimente.

E procure sempre um profissional especializado para lhe orientar neste processo. 🙂